É muito comum a proibição do uso da língua materna por escolas de inglês ou escolas bilíngues durante o processo de aquisição da língua adicional. Nesses casos, acredita-se que a aula deve ser ministrada totalmente na língua adicional, mesmo logo no início desse processo. É totalmente aceitável uma aula de língua inglesa ser ministrada integralmente na língua adicional – se estiver de acordo com o estágio do processo de aquisição do aluno -, no entanto, o uso do Português pode ser fundamental para uma boa solidificação do processo de aquisição da segunda língua.

Na 4Little, prezamos muito pelo vínculo estabelecido entre aluna(o) e educadora, e um momento crucial para se estabelecer esse vínculo é na identificação que o aluno cria com a língua inglesa. É possível que haja resistência de alguns alunos para utilizarem o inglês e, em decorrência disso, o uso do Português nas primeiras aulas é requisitado, para que o vínculo afetivo seja criado não só com a educadora mas também com a língua inglesa.

Um diferencial presente nas nossas aulas é que, ao fazermos uso do Português, utilizamos algumas técnicas de modo que o aluno registre mentalmente a palavra em inglês, em vez de simplesmente traduzirmos comandos e vocabulários, o que prejudicaria todo o processo em desenvolvimento. Em momentos nos quais os alunos requisitam traduções diretas de vocabulários, tentamos definir a palavra em inglês, utilizar linguagem corporal e diversos outros meios para nos fazermos entender pela língua  inglesa para, então, como último recurso, utilizar o Português, sempre com auxílio das técnicas.

Crianças mais velhas, ou até mesmo pré-adolescentes e adolescentes, têm os dois sistemas linguísticos – Português e Inglês – bem definidos no cérebro e, por questão de conforto ou insegurança, tendem a se expressar mais na língua materna. Para isso, contamos também com as técnicas de linguagem, de modo que a produção na língua adicional seja feita de maneira natural e de acordo com o estágio do processo de cada um.

Leave a Reply